retinopatia diabética

Retinopatia diabética: causas, sintomas e tratamentos

A retinopatia diabética é uma das principais causas de cegueira e ocorre devido a complicações da diabetes. A doença provoca alterações nos vasos sanguíneos da retina, que extravasa fluidos ou sangue no local, podendo comprometer a visão.

A diabetes pode gerar um acúmulo de substâncias anormais nas paredes dos vasos sanguíneos da retina, causando estreitamento ou obstrução. O enfraquecimento desses vasos provoca microaneurismas e, consequentemente, hemorragia e infiltração de gordura na retina.

Neste post, entenderemos um pouco mais sobre o tema. Acompanhe!

Classificação da retinopatia diabética

A retinopatia pode ser dividida em exsudativa e proliferativa, de acordo com a presença, localização, extensão e grau da doença.

Exsudativa

Acontece quando as hemorragias ou as gorduras afetam a retina, o tecido neural responsável pela captação das imagens (semelhante a um filme de maquina fotográfica)ç algumas vezes a mácula, área da retina responsável pela visão de detalhes, a visão central, também eh afetada. Nesse caso, a visão pode ficar turva e o risco de perda visual é grande.

Proliferativa

O fluxo sanguíneo inadequado provoca falta de nutrição em alguns pontos da retina e leva à formação de novos vasos isto caracteriza a fase proliferativa. Os neovasos são frágeis e podem se romper, liberando sangue e provocando a perda da visão.

Além disso, a fase proliferativa pode causar hemorragia no  humor vítreo, tecido gelatinoso que preenche a maior parte do globo ocular, descolamento de retina e, ainda, glaucoma neovascular.

Sintomas e diagnóstico da retinopatia diabética

Os sintomas variam conforme o tipo da doença — proliferativa ou exsudativa. Em seu estágio inicial, a retinopatia é assintomática e seu diagnóstico é feito pelo exame de fundo de olho. Já na fase proliferativa, quando a mácula apresenta edemas e os neovasos se rompem, a visão pode ficar turva.

Ambas as fases são diagnosticadas por meio de exames oftalmológicos. O teste de acuidade visual é realizado para verificar a condição da visão do paciente e o de fundo de olho permite uma observação mais adequada da retina e do disco ótico.

Além disso, alguns exames mais detalhados do fundo do olho, como a Tomografia de Coerência Óptica (OCT) e a angiografia fluoresceínica também podem ser utilizados para identificar sinais precoces da doença na retina.

Tipos de tratamento

O tratamento varia conforme o tipo e a fase da doença. Nos casos mais avançados, alguns procedimentos cirúrgicos são utilizados para conter o avanço da perda de visão. Entre eles, a cirurgia a laser ou fotocoagulação, que reduz os neovasos e diminui o inchaço macular.

A aplicação a laser amarelo de mili ou micropulsos  é uma técnica indolor, rápida e precisa. Nesse procedimento, as lesões são identificadas e tratadas pela fotoestimulação, por meio de impulsos em mili ou microssegundos. A vantagem dessa técnica é que a temperatura da retina não é elevada, proporcionando mais segurança e diminuindo as cicatrizes.

Tradicionalmente, a fotocoagulação com laser verde tem sido amplamente utilizada para o tratamento das lesões da retinopatia diabética. O laser amarelo, quando em alta potencia apresenta os mesmo efeitos do laser verde, com a vantagem de gerar menos dor durante as aplicações.

Outro procedimento que pode ser realizado é a cirurgia de vitrectomia, utilizada nos casos de uma hemorragia vítrea grave. Ela pode impedir novas hemorragias pela remoção dos neovasos, possibilitando que os raios de luz se concentrem novamente na retina.

A principal forma de prevenir a retinopatia diabética é por meio do controle rigoroso da diabetes. Para isso, é importante seguir a medicação, adotar uma dieta equilibrada e exercícios físicos para controlar os níveis de glicose, colesterol e a pressão arterial.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre a Clínica do Olho – Clínica Oftalmológica em Salvador!

O que deseja encontrar?

Compartilhe