glaucoma

Fatores de risco para o glaucoma

Uma das principais dificuldades do diagnóstico de glaucoma é a ausência de sintomas claros durante a fase inicial da doença. Por isso, é importante estar atento a qualquer alteração nos olhos e conhecer mais sobre o assunto. Você sabia que existem fatores de risco que podem aumentar as chances de alguém desenvolver essa doença? Pois é, leia o texto e descubra quais são esses fatores.

O que é glaucoma?

É uma doença nos olhos que causa uma alteração no nervo óptico do paciente, provocando um dano irreversível das fibras nervosas dessa região, alterações que resultam na redução do campo visual. Em razão da ausência de sintomas, a enfermidade é conhecida como a principal responsável pela cegueira irreversível no mundo. Isso ocorre porque, como não há sintomas, o indivíduo não sabe que é portador da doença e não busca tratamento. Assim, o quadro evolui e se torna irreversível.

Quais são as causas?

O glaucoma é classificado em 4 tipos, podendo ser de ângulo fechado, congênito, de ângulo aberto ou secundário. O tipo de ângulo fechado, ou agudo, ocorre quando há um súbito bloqueio que impede a eliminação do humor aquoso. O acúmulo desse líquido promove a pressão intraocular e precisa ser tratado imediatamente. O tipo congênito é aquele que nasce com o paciente e tem origem na má-formação da anatomia da região. Essa é a forma mais rara de manifestação da doença. Quando o glaucoma é crônico, é causado por uma alteração na anatomia da região do ângulo anterior. Essa alteração impede que o humor aquoso seja eliminado, promovendo o aumento da pressão intraocular. Porém, diferentemente do quadro agudo, essa pressão aumenta de forma lenta e silenciosa. O tipo secundário tem origem em alguma outra patologia, no uso inadequado de alguns medicamentos ou na ocorrência de traumas na região.

Conheça os fatores de risco

O glaucoma é uma doença de difícil previsão e diagnóstico, por isso, a atenção a ele deve ser redobrada. Além das medidas de prevenção, existem fatores de risco que podem potencializar as chances de um indivíduo desenvolver essa condição. São os seguintes:
  • pressão intraocular: pessoas que possuem um valor de pressão intraocular mais elevado têm maior compressão do nervo óptico e, por isso, estão mais propensas a desenvolverem a doença;
  • idade avançada: conforme envelhecemos, maiores são as chances de sofrermos com alguma degeneração dos olhos. Assim, pode haver maior dificuldade em escorrer o humor vítreo, favorecendo o aparecimento da doença;
  • histórico familiar: indivíduos que possuem familiares que sofrem com a doença podem ter uma predisposição genética para esse quadro;
  • etnia: existem estudos que afirmam existir maior propensão de negros contraírem a doença;
  • outras doenças oculares: pessoas que sofrem com outras doenças oculares, tais como tumor, descolamento da retina e inflamação, têm maior risco de desenvolver a doença;
  • uso contínuo de medicamentos: o uso constante de medicamentos à base de corticosteroides também é um fator de risco para a patologia.
Está enquadrado em algum desses fatores de risco para o glaucoma? Então, procure um oftalmologista de sua confiança para que você seja avaliado e afaste todas as possibilidades de desenvolver a doença. Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre a Clínica do Olho – Clínica Oftalmológica em Salvador!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp